Pesquisar

A Prática da Presença

Alguém me perguntou qual foi o momento mais importante que tive em minha vida. O momento mais importante que tive em minha vida não está no passado, mas exatamente neste momento que estou vivendo agora, neste instante!

Este Momento

Junto a esta descoberta, vem o entendimento de que tudo o que me aconteceu no passado contribui para aproveitar da melhor forma possível este momento presente. Porém, ficar lembrando do passado não contribui para este aproveitamento, já que essa lembrança me tira da perceptividade a este momento.

Assim, o que importa é a minha consciência estar desperta AGORA, já que, a partir dessa consciência desperta, ações e atitudes as mais adequadas possíveis, dentro da minha bagagem de experiências, acontecem por si mesmas!

Claro, não basta apenas aceitar intelectualmente este entendimento. Introjetá-lo vivencialmente é o que trará uma mudança na nossa postura diante da vida a ponto de transformações positivas passarem a ocorrer de uma forma intensa e crescente.

Outra pessoa me falou: “Tive três experiências de uma presença muito intensa em minha vida, muito transformadora. Eu estava tão desidentificado com o meu ego… Hoje tenho momentos de presença, mas eles não chegam perto daqueles três grandes momentos que tive. Você poderia me dar uma dica para que eu volte a ter aqueles momentos intensos novamente?”

A minha dica para ele foi para valorizar os momentos de presença que ele consegue agora!!!

Se ele ficar desvalorizando o momento de presença que tem agora por compará-lo com o que teve, estará andando com “o breque de mão puxado”.

Toda desvalorização do nível de presença que tenho, ao compará-lo com outro nível, é frear o nosso processo de despertar a consciência! É importantíssimo validar esta presença agora, sem me preocupar ou procurar me lembrar do que aconteceu no passado!

Ficar pensando no que aconteceu é sair deste momento! Ou seja, essa valorização do que tive impulsiona a inconsciência do que já está acontecendo neste instante.

E não há necessidade de sentir algo glorioso agora. A necessidade é perceber EXATAMENTE o que está acontecendo neste momento sem julgamentos associados.

Meditar: um treinamento

Ao verificar se estou com a consciência desperta agora, pode ser que a minha “luz” de consciência não esteja magnífica neste instante. Pode ser que não tenha “200 watts de presença” neste momento. Pode ser que tenha “2 watts de presença”, mas validar esses “2 watts” é fundamental para haver o melhor aproveitamento do que está acontecendo agora, afinal, “2 watts” já significa que a luz está acessa!

A satisfação deve estar no fato de a “luz” estar acesa e não no quanto ela está acesa!

Com essa validação e satisfação, aumenta muito a probabilidade de que a “luz” aumente naturalmente e, com a desvalidação e insatisfação, aumenta muito a probabilidade de que a “luz da consciência” diminua!

Para que esta validação e satisfação pelo nível de presença que temos no momento se torne uma realidade vivida, precisamos de treinamento para isso. Meditação é este treinamento, tanto para verificar se estamos de fato presentes quanto para validarmos o nível de presença que estamos no momento.

Assim, considero como essencial e básico em qualquer curso ou retiro de meditação que o seu primeiro passo seja levar os participantes a reconhecerem com clareza, em si mesmos, o que é estar presente, o que é estar na Presença, o que é estar com a consciência atentiva ao momento presente.

Tento esse reconhecimento realmente claro, aí sim faz sentido ensinar e praticar técnicas de meditação para que, aos poucos, haja uma familiarização cada vez maior com esse reconhecimento, o que leva, automaticamente, ao aprofundamento da meditação que, por sua vez, leva à transferibilidade da Presença para situações de nosso cotidiano!

E é vivenciando a Presença no cotidiano que as transformações positivas pessoais realmente se dão!


Texto por Nisargan, em Janeiro/2023

Facilitador de retiros em Nazaré Uniluz, médico psiquiatra, atualmente com mais de 40 anos de experiências ininterruptas como meditador e mais de 28 anos de experiências ininterruptas como instrutor de Meditação.

Compartilhe esse artigo

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram